Quer se livrar das dívidas? A Acesso te da dicas de como se organizar

_POST_BLOG_30-08_15
Postado Originalmente em BlogAcesso – Ilustração e Texto por Gretha Bevilacqua

 

 

A maioria das pessoas já passou por um aperto financeiro e precisou atrasar alguma conta pelo menos uma vez na vida. Esse tipo de imprevisto é comum, mas exige cuidado, pois os juros estão presentes em quase todas as contas que pagamos e eles podem fazer os valores aumentarem de forma drástica se a dívida não for controlada, dificultando ainda mais o acerto de contas.

Conheça seu orçamento antes de fazer uma negociação de dívidas

O primeiro passo a ser dado antes de negociar uma dívida é saber quanto você pode gastar por mês com cada área da sua vida, para conseguir projetar o quanto da sua renda você poderá dedicar ao pagamento das pendências. Uma boa forma de definir essas metas é seguir a regra dos 50-15-35, ou seja 50% da renda para as despesas essenciais, 15% para as prioridades financeiras, e 35% para gastar com seu estilo de vida.

Faça um mapeamento das dívidas

Depois de conhecer quais são suas despesas mensais, é hora de fazer um mapeamento de suas dívidas, ou seja, saber para quem e quanto você deve. Com a lista de todos os seus credores em mãos, entre em contato com cada um para se informar dos valores para quitar sua dívida à vista. Faça isso, mesmo que você não pretenda pagar ao valor todo de uma vez. Você precisará dessa informação quando for fazer uma proposta de parcelamento, mais adiante.

Negocie

Com as informações em mãos, você já pode partir para a negociação de dívidas de fato. Entre em contato com os credores e comece por aquelas dívidas que aumentam mais rapidamente (que podem ser tanto as de grande valor, quanto as com os juros mais altos. Faça as contas para saber qual delas está gerando um valor em juros maior no final do mês).

Vá para a negociação preparado para fazer sua proposta, levando em conta o valor para o pagamento à vista acrescido de juros mais amenos do que os que você está pagando no momento. Se você não souber como julgar esses valores, a Calculadora do Cidadão do Banco Central pode lhe ajudar.

Persista

Se o credor não quiser aceitar sua proposta de negociação de dívidas procure insistir nela e mostre seus cálculos. Lembre-se de ter em mente o valor que você pode pagar e não aceite uma proposta de negócio que você não conseguirá cumprir. Via de regra, quanto mais velha for a sua dívida, maior a probabilidade de o credor aceitar suas condições. Se isso não acontecer de imediato, tenha paciência, poupe seu dinheiro e volte a procurá-lo no futuro para, quem sabe, fazer uma proposta de pagamento à vista.

Não faça mais dívidas

Quando você finalmente sair do vermelho, se concentre em criar uma reserva de emergência, caso algum imprevisto aconteça e o dinheiro falte, ou você precise gastar com algo que não estava nos planos. Assim, você evitará ter que passar por esse processo de negociação de dívidas novamente e de quebra terá uma vida financeira mais tranquila.